Altruísmo envolve agir por preocupação com o bem-estar de outras pessoas. Em alguns casos, estes atos de altruísmo levam as pessoas a pôr em risco a sua própria saúde e bem-estar para ajudar os outros. Em muitos casos, esses comportamentos são realizados de forma altruísta e sem qualquer expectativa de recompensa. Outros exemplos, conhecidos como altruísmo recíproco, envolvem a tomada de ações para ajudar os outros com a expectativa de que eles oferecem ajuda em troca.1

O que inspira as pessoas a dar seu tempo, energia e dinheiro para a melhoria dos outros, mesmo quando não recebem nada tangível em troca?

O que é o altruísmo?

Altruísmo é a preocupação altruísta com outras pessoas-fazer as coisas simplesmente por um desejo de ajudar, não porque você se sente obrigado a por dever, lealdade ou razões religiosas.

A vida cotidiana está cheia de pequenos atos de altruísmo, de segurar a porta de estranhos para dar dinheiro aos sem-teto.

As notícias muitas vezes se concentram em casos mais grandiosos de altruísmo, como um homem que mergulha em um rio gelado para resgatar um estranho afogado ou um doador generoso que dá milhares de dólares para uma caridade local. Embora possamos estar familiarizados com o altruísmo, os psicólogos sociais estão interessados em entender por que isso ocorre a soberba significado e definição. O que inspira estes atos de bondade? O que motiva as pessoas a arriscar as suas próprias vidas para salvar um completo estranho?

Comportamento Prosocial e altruísmo

Altruísmo é um aspecto do que psicólogos sociais se referem como comportamento prosocial. Comportamento Prosocial refere-se a qualquer ação que beneficie outras pessoas, não importa qual o motivo ou como o doador se beneficia da ação. Lembre-se, no entanto, que o altruísmo puro envolve a verdadeira abnegação.

Embora todos os atos altruístas sejam prosociais, nem todos os comportamentos prosociais são completamente altruístas. Por exemplo, podemos ajudar outros por uma variedade de razões, tais como culpa, obrigação, dever, ou até mesmo para recompensas.

Explicações para a existência do altruísmo

Psicólogos têm sugerido uma série de diferentes explicações para a existência do altruísmo, incluindo as seguintes.

Razões Biológicas

Kin selection é uma teoria evolutiva que propõe que as pessoas são mais propensos a ajudar aqueles que são parentes de sangue, porque irá aumentar as chances de transmissão de genes para as gerações futuras. A teoria sugere que o altruísmo em relação a parentes próximos ocorre a fim de garantir a continuação dos genes compartilhados. Quanto mais intimamente os indivíduos estão relacionados, mais provável as pessoas estão a ajudar.

Razões Neurológicas

Altruísmo ativa centros de recompensa no cérebro. Neurobiólogos descobriram que quando envolvidos em um ato altruísta, os centros de prazer do cérebro tornam-se ativos.

Um estudo de 2014 publicado na revista Social Cognitive and Affective Neuroscience descobriu que o engajamento em ações compassivas ativa as áreas do cérebro associadas ao sistema de recompensa, incluindo a área tegmental dopaminérgica ventral e o estriato ventral. Os sentimentos positivos criados pelas ações compassivas reforçam os comportamentos altruístas.

Razões Ambientais

Psicólogos há muito debatem se algumas pessoas nascem com uma tendência natural para ajudar outras, enquanto outras Não, uma teoria que sugere que o altruísmo pode ser amplamente controlado pela genética.

O estudo questionou esta teoria, descobrindo que a socialização teve um sério impacto nas ações altruístas em crianças de um e dois anos de idade. As crianças que observam atos recíprocos simples de altruísmo eram muito mais propensas a exibir ações altruístas, enquanto as ações amigáveis mas não altruístas modeladas não mostravam os mesmos resultados.

Fonte: https://definicao.net/significado-de-altruista/